Needs


Image
I don’t need you to hug me, or kiss me all the time. I don’t need you to show how you like me in front of everyone. I don’t need you to praise me, nor to say that I am perfect. I don’t need to know of each person you talk to, nor to take care of your whole life. I don’t need you to tell me you like me all the time. I don’t need you to be just like me. I don’t need you to like everything I do. Don’t need you to be easy to understand, nor to be “cute” or something like that. I don’t need it to be easy to keep.
And could be more things wich I don’t need, but there’s a few I still do.
I need you to like me, and that you, somehow, in your own way, let me know it. I need to know that you also care. And I need you to understand that, even that sometimes it seems I don’t, I care a lot, and I’m, really, way too insecure.
And, even being so, I choose to risk myself.
What I need the most, it’s just you to be pacient, and to don’t give up on me easily.


friends-forever-11

Pode ser a raiva do momento, ou a mágoa acumulada. A questão, na verdade, é que agora, eu realmente desejo que você passe por um problema, mas um problema mesmo, daqueles que te fazem precisar dos amigos. Porque acredito que só assim você vai perceber quem é que está sempre com você, mesmo depois de você ter deixado de lado, em favor de outros.
E sabe, perguntar por que eu não falei que me sentia deixada de lado, só mostraria o quanto você nem sequer nos escuta direito. Eu disse, sim, eu cheguei a dizer que precisava de atenção também, e não mudou nada. E sabe, eu até entendo que em relação a alguns, você se importe demais, já que criou essa dependência, mas ser trocada por qualquer um como tem acontecido ultimamente, isso foi me ferir demais.
Não é exagero, sendo que não sou a única se sentindo assim. Não é drama, pois drama é o que esses outros tem feito, e por alguma razão você não enxerga.
Aliás, tem muita coisa que você não tem enxergado, mas quem sou eu pra te mostrar isso, não? Não adiantaria, mesmo se eu tentasse. Por vezes, vezes demais, não tem adiantado. E tudo bem, eu falo sim, eu tento mostrar, tento aconselhar, mas eu sempre te escuto primeiro, sempre ouço o que tem a dizer. Não só quando sou eu falando para você, mas na situação inversa também. Eu tento levar tudo em consideração, inclusive o que eu nem sempre concordo plenamente, mas eu escuto, e dou atenção à sua opinião.
Sabe, eu gosto muito de você, como eu gosto de poucas pessoas. Mas essa situação tem me deixado realmente magoada, e não parece existir nada que eu possa fazer. É uma pena, porque com isso, tudo que eu sinto, é que estou perdendo alguém que amo, e  por coisas idiotas, e isso me deixa realmente triste.
No fim, a escolha vai acabar sendo sua. Se isso te deixou nervosa, sinto muito, mas é como eu penso e como eu me sinto agora, mesmo que isso não pareça importar ultimamente.

To Care


Image

To care, em uma tradução completamente livre, seria algo como importar-se.
Importar-se seria algo como se interessar, fazer caso, dar importância

Uma das coisas com as quais eu me importo, e muito, são as pessoas que amo. Eu nem sempre sei me expressar bem quanto a isso. Quando precisam de mim, eu sempre estou lá, para tudo, para qualquer coisa, mas nem sempre sei o que fazer. Como, por exemplo, ao ver alguém amado sofrendo. 

Ver alguma das pessoas com quem me importo, de verdade, magoadas, machucadas, abatidas, enfim, qualquer coisa que as deixe para baixo, automaticamente me faz sofrer também, seja o motivo uma coisa boba ou uma grande perda. Ver uma dessas chorando, sempre me faz chorar. Ver que alguém é a causa disso, me faz tomar as dores de quem gosto contra esse sujeito, que não tem absolutamente direito algum de ferir de qualquer forma, aqueles que eu amo. 

Sou dessas que fica com raiva de quem faz isso, que toma as dores, que sofre junto, e que faria de tudo, tudo mesmo, para ver bem esses de quem gosto. Saber que eles não estão bem, mesmo quando o dizem, me dói, e quando isso acontece, tudo que eu tenho vontade é poder fazer alguma coisa, o que nem sempre é possível. Acho que essa é uma das principais causas da “adoção” do sofrimento alheio pela minha parte: se não há nada que possa fazer para diminuí-lo, é o meu modo de estar lá, de demonstrar que me importo.

Nem sempre esses indivíduos, por quem tenho afeição, sabem que eu tomo suas dores, que sofro junto com eles. Nem sempre eu consigo falar algo, ou mesmo demonstrar. Às vezes, só compartilho em silêncio, mas isso não diminui o quanto eu desejo que fiquem bem, ou que possa fazer alguma coisa.

Seja para o bem ou para o mal, eu me importo de verdade, e muito. E, agora, espero que você fique bem, que siga em frente, que seja feliz, que ache alguém que preste, e que saiba que eu sempre vou estar aqui, que sempre vou tomar suas dores, e que sempre vou chorar quando você chorar.